Central Blog

Por Marcos Alex Rodrigues

 

Temos vivido tempos de muitas mudanças. A informatização transformou as nossas vidas e afetou diretamente a maneira como executamos nossas tarefas diárias, como educamos nossos filhos, gerimos a nossa empresa, lemos livros…

Os conteúdos vêm e vão em questão de segundos e muitas vezes uma simples checada matinal no celular e nos aplicativos de mensagens instantâneas mudam o nosso humor e até mesmo o planejamento que estava traçado para o dia.

Os desafios são muitos e para que ocorra esse avanço diário é preciso demolir alguns espaços para criarmos outros e assim, vamos construindo o futuro, passando por cima do passado e ignorando o presente.

Para uma pessoa no auge dos seus 15 anos, parece exagero dizer isso. Mas o que aconteceu com as lamparinas? E com as manivelas para acionar motores? As vitrolas? A máquina de escrever? Os filmes fotográficos? As fichas telefônicas e os orelhões? Muitos nem viram esses objetos e já chegaram em uma época onde tudo acontece na palma da mão, dentro dos seus smartphones.

Mas uma pergunta não sai da minha cabeça. E os profissionais que trabalhavam nesses produtos e serviços, onde estão? O que fazem? Migraram para onde? Estão aposentados? Ainda falando em profissões me deparei estes dias com um estudo da Inova Consulting, FIA, Michael Page, Sparks & Honey, Talenses e Exame sobre as 50 Profissões do Futuro e não encontrei boa parte das profissões tradicionais. 

Será que no futuro o vestibular para advogados, médicos e engenheiros será tão concorrido quanto nos últimos anos? Ainda como resultado deste estudo, acompanhei que estas profissões mais tradicionais estão sendo ramificadas e abrindo leques de opções mais segmentados, como por exemplo. Os tradicionais engenheiros agora se dividem em: engenheiros ambientais, civis, de petróleo e gás e até mesmo hospitalar.

Na área da comunicação, onde eu atuo, a previsão é de que os profissionais sejam cada vez mais multitarefas. Para um futuro próximo há quem projete um departamento de tendências e inovação dentro das organizações, mas não apenas sob o guarda-chuva do marketing, mas integrado a todo o ecossistema empresarial. Com papel de articulador, esse profissional será chamado de trendsinnovation. Também fala-se muito do gestor de marketing para e-commerce e do gestor de comunidades digitais, uma vez que o mundo online está cada vez exigente e dinâmico.

Bom, esse texto tem muitas interrogações e eu tenho um único propósito com isso. Quero despertar em você o seguinte questionamento: O que você faz hoje, tem tempo determinado para acabar? Quando será o fim da sua atividade ou até mesmo da sua profissão? Você está se reinventando?

Desperte para o novo, repense conceitos, recrie produtos, invente novas formas de se relacionar e se prepare para as mudanças. Pode ser que você fique para trás sem perceber!

 

Sobre o autor:

Presidente da Central Mailing List, (www.centralmailinglist.com.br) Marcos Alex Rodrigues é um cientista de dados que há mais de 20 anos inseriu a comercialização de banco de dados no mercado. Hoje, além desse serviço, a empresa também trabalha com a correção, atualização, enriquecimento de database (banco de dados), disparos de e-mail marketing inteligente, SMS e geração de leads. Tudo isso, de maneira consciente, fazendo o uso coerente das informações e seguindo as regras de mercado com altos níveis de segurança. Projetos de consultoria mercadológica para a definição de público alvo atendendo as demandas dos departamentos de marketing, vendas, prospecção, retenção, fidelização, cobranças, pesquisas, TI e RH também faz parte da portfólio da empresa que conta com a expertise da Agência Girassol (www.agenciagirassol.com.br) para traçar as suas estratégias de comunicação.

Mundanças2017

Deixe uma resposta


*